Marquioni
 
 
 
Site destinado à publicação de artigos e trabalhos acadêmicos e profissionais, visando divulgar/propor debates e reflexões relacionadas à engenharia de software, gestão de projetos, definição de processos e comunicação.
 
Você no Marquioni.com.br
Em breve, você poderá ser um articulista em nosso site. Cadastre-se!
 
Técnico vs. usuário: uma análise do processo comunicacional na Engenharia de Requisitos de Software
Clique aqui para mais informações de como adquirir o livro.
 
 
   
     
 
k
 
     
 

Escopo de Projeto x Escopo de Produto: A Engenharia de Requisitos como Subsídio para a Gestão de Software
 

 

Considerando que a qualidade do processo utilizado para o desenvolvimento e a manutenção de um produto ou sistema tem influência direta em sua qualidade final, o artigo apresenta alguns dos processos da Engenharia de Requisitos como uma alternativa viável e prática para melhoria da qualidade de software através da sistematização dos processos de gerenciamento de escopo (de projeto e de produto) – tanto nos casos de desenvolvimento quanto de manutenção deste tipo de produto. A abordagem, que é aderente às recomendações das referências PMBoK e CMMI-DEV, baseia-se na definição de uma WBS (Work Breakdown Structure) padrão a partir dos processos da Engenharia de Requisitos. Esta WBS passa a ser customizada para cada projeto de software em função de um critério objetivo definido pela organização (no caso deste artigo é considerado como exemplo o critério ‘tamanho do projeto de software, baseado em uma estimativa de pontos por função’), possibilitando melhoria nos processos relacionados à gestão do escopo, com conseqüente melhoria no produto final.
 
Palavras-chave: WBS; Lista de Requisitos; Engenharia de Requisitos; Gestão de Escopo de Produto; Gestão de Escopo de Projeto.
Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Uso de protótipos de interface como idioma durante a Validação de requisitos – Uma análise semiótica
 

Este trabalho propõe o uso de protótipos de interface como idioma para estabelecer comunicação entre técnicos e usuários não técnicos durante a execução do processo de Validação (da Engenharia de Requisitos), como alternativa à utilização dos Diagramas de Casos de Uso para executar este processo. O artigo utiliza a semiótica (peirceana) como referencial teórico principal para analisar o repertório requerido na leitura e compreensão desses dois tipos de artefato como justificativa para a sugestão apresentada.
 
Palavras-chave: Design de interfaces; prototipação; Engenharia de Requisitos; Diagrama de Casos de Uso; processo de Validação.
Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Requisitos de software instáveis – Uma análise conceitual de um problema prático
 

O presente trabalho formula um problema analítico passível de pesquisa comunicacional, a partir de um problema funcional associado à produção de software. Os profissionais envolvidos com a indústria de software afirmam que o usuário não sabe o que quer, em virtude de modificações com freqüência significativa dos requisitos definidos para o produto. O que se deseja aqui é analisar, do ponto de vista teórico, o que pode levar os usuários à solicitação destes requisitos instáveis. Em seguida, avalia-se, através de uma análise semiótica peirceana, a complexidade envolvida no processo de compreensão dos requisitos de software.

Palavras-chave: Indústria Cultural; alienação; semiótica; software; requisito.

 

Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Comunicação Através de Diagramas de Casos de Uso no Desenvolvimento de Software – Uma Breve Análise de Sentido
 

Resumo

O presente trabalho apresenta conceitos do diagrama de casos de uso, utilizado no desenvolvimento de software: trata-se de notação utilizada mundialmente durante o desenvolvimento de software para documentar necessidades dos usuários. A partir dos conceitos da notação é realizada uma reflexão do potencial comunicacional proporcionado pelo diagrama em questão, baseada principalmente na diferença de repertório dos envolvidos no processo de criação do artefato (técnicos) e dos leitores do artefato (não técnicos), utilizando como referencial teórico principal o estudo de diagramas da semiótica de C. S. Peirce e reflexões de percepção formuladas por Umberto Eco. Finalmente, é proposta a utilização do diagrama em conjunto com o design de interfaces como alternativa para facilitar a formação de sentido.

Palavras-chave: comunicação; semiose; requisito; software; diagrama.

Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Uma breve análise da produção de software livre
 

Este trabalho apresenta conceitos relacionados à produção de software livre e propõe a análise da produção deste tipo de produto segundo duas linhas básicas: como fenômeno de organização da sociedade (comportamento emergente) e segundo aspectos políticos (autor como produtor). Ao longo do texto são apontadas alternativas de aprofundamento para estudo pela comunidade científica – tanto de software quanto comunicação – considerando inclusive conceitos da Engenharia de Software.

 

Palavras-chave: software livre; software de fonte aberta, autor como produtor; Cultura tratada como Engenharia; emergência.
Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Parábola da mulher, do índio e do nordestino: uma análise da cobertura da posse de três presidentes sul-americanos nas publicações Caros Amigos, Folha de S. Paulo e Veja
 
Este trabalho efetua uma reflexão analítica em relação à profundidade com a qual os órgãos de imprensa brasileiros noticiam fatos políticos nacionais e associados à América Latina. Para poder debater a partir de objetos mais concretos, o artigo apresenta e analisa, a partir da cobertura da posse de três presidentes latino-americanos (sendo um brasileiro), a contextualização histórica e social realizada por um órgão da imprensa alternativa e dois representantes da chamada grande imprensa.
 
Palavras-chave: Comunicação; jornalismo; imprensa alternativa; grande imprensa.
Ângela Maria Farah Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Gisela Solheid Meister Ver mais [+]
Projeto Zeta – Inclusão digital para deficientes visuais
 

Novas possibilidades de uso das tecnologias móveis se ampliam a cada dia. Contudo, estas possibilidades são bastante associadas a aspectos visuais, o que não permite o uso pleno dessas novas possibilidades tecnológicas por deficientes visuais. Este trabalho apresenta um breve cenário do uso atual destas tecnologias e um produto de software desenvolvido no Brasil, baseado no método Braille e na escrita Graffiti – utilizada em computadores de mão – que pode auxiliar a inserção dos cegos no universo da mobilidade, ou mesmo tornar mais ágil a entrada de textos em teclados numéricos por usuários que enxergam.
 
Palavras-chave: Telefones celulares; tecnologias móveis; computador de mão; mensagens de texto; inclusão digital.

 

Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Meio: de mensagem a ambiente numérico manipulável – Uma breve reflexão sobre McLuhan, simulações e metáforas visuais
 

Este trabalho analisa desdobramentos da conhecida afirmação do meio como mensagem divulgada por Marshall Mcluhan, iniciando com uma reflexão do texto do autor onde ele realizou a afirmação. Em seguida, avança pelo conceito de imagem digital e analisa as mudanças no formato comunicacional decorrentes do uso das tecnologias numéricas, segundo Couchot. Finalmente, chega ao uso destas imagens no desenvolvimento de software comercial através do uso metáforas visuais, na tentativa de facilitar a interação humano computador. As metáforas consideradas nesta parte final são a do desktop e a das janelas, segundo Steven Johnson.
 
Palavras-chave: simulação; metáfora; software; interatividade; interface.
Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Conceitos de cibernética e o dia em que todos serão Borgs
 

Este trabalho resgata conceitos de entropia, feedback e sinapses, definidos pela cibernética de Norbert Wiener e propõe um relacionamento de equivalência teórica com partes do estudo de dimensões técnicas e coletivas da cognição, chamados por Pierre Levy de ecologia cognitiva. A partir desta relação, e considerando a teoria proposta por Marshall Mcluhan dos meios como extensões do corpo, é apresentada a aplicação das definições selecionadas na ficção científica e em seu subgênero conhecido como ciberpunk; para exemplificar os conceitos na ficção científica é utilizada a série Jornada nas Estrelas – A Nova Geração e, para o ciberpunk, as referências são o anime Akira e a obra literária Neuromancer. Finalmente, o artigo apresenta a aplicação das teorias em casos não ficcionais, através de exemplos de representantes cibernéticos fora das obras literárias ou cinematográficas. Trata-se de pessoas que podem ser classificados como seres pós-humanos: o físico inglês Stephen Hawking e a ex-marine norte americana Claudia Mitchell.
 
Palavras-chave: cibernética; cibercultura; comunicação.
Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Paixões Efêmeras – Proposta de Análise
 

Este trabalho propõe alternativas para realizar um estudo das paixões efêmeras, que duram o tempo de um olhar. É utilizada como referencial teórico a reflexão elaborada por Walter Benjamin em relação aos poemas escritos por Charles Baudelaire. Note que este trabalho tem como objetivo apenas apontar caminhos que podem ser explorados de forma mais aprofundada em um eventual estudo futuro. Logo, não deve ser lido como um projeto de pesquisa, nem tampouco como uma pesquisa concluída. Serão objetos nesta proposta de análise o poema A uma passante, de Charles Baudelarie, o conto Tentação de Clarice Lispector, e um trecho do filme Sábado, de Ugo Giorgetti.
 
Palavras-chave: Comunicação; corpo; olhar.
Carlos Eduardo Marquioni, M.Sc., PMP Ver mais [+]
Appropriation in reverse; or, what happens when popular music goes dodecaphonic (communication version)
 

Abstract:

The problematic current situation of music can be detected in its propensity to generate misnomers. “Classical music” is at best a metonymy, the part for the whole; “erudite,” a falsification; “serious,” a neutralization; “popular,” the greatest untruth. Perhaps only “folk” music corresponds to a minimally accurate denomination, but this may be because its referent, unmediated collective composition/singing, no longer really exists – for its “living” counterpart the infamous “ethnic” was coined. This difficulty to name is also present in the single instance where it should actually obtain, namely in mixed artifacts, whose origins include apparently incompatible, often contradictory, trends or traditions. This is exactly the case of Brazilian “popular” composer Arrigo Barnanbé, the most formally-oriented member of the so-called Vanguarda Paulista (São Paulo Avant-Garde), a term that, taken rigorously, represents another misconceptualization. What is unique to the movement is that the exchange here between the popular and the erudite takes the opposite direction of what normally happens.
Fabio Akcelrud Durão, D.Sc. José Adriano Fenerick, D.Sc. Ver mais [+]
 
 
 
pH Design Desenvolvido por pH Design | Copyright © 2008